• Talentos - Aprendiz

    Compartilhe:
    • Aprendiz

      se preparando para o mundo

    • Aprendiz

      parceria SENAI

Programa Aprendiz

Objetivos
Proporcionar a qualificação técnico-profissional de jovens estudantes, através do desenvolvimento de competências e da aquisição de habilidades, preparando-os para o mercado de trabalho e contribuindo para o seu desenvolvimento pessoal e profissional;
Formar profissionais internamente, ampliando o banco de talentos da empresa e minimizando os efeitos da falta de mão de obra qualificada;
Cumprir a cota exigida pela Lei da Aprendizagem (Lei 10.097/2000) (SENAI).

Esses objetivos sustentam-se nos seguintes princípios:
Trabalho em equipe;
Autonomia do jovem;
Informação/conteúdo como instrumento na construção do conhecimento;
Transformação das situações adversas em aprendizado;
Aprendizagem através de ação (aprender fazendo).

Premissas
O trabalho do menor não poderá ser realizado em:
- Locais prejudiciais à sua formação, ao seu desenvolvimento físico, psíquico, moral e social;
- Horários e locais que não permitam a frequência à escola;
- O trabalho deve ser educativo e não simplesmente uma mão de obra.

Vantagens
Possibilidade de desenvolver módulo de aprendizagem específica de acordo com o ramo de atividade ou necessidade da empresa;
Nenhum custo para Recrutamento e Seleção;
A inexistência de vínculo empregatício com o Educando (Trabalho Educativo);
Jovens capacitados, motivados e orientados;
Possibilidade de remanejamento dos jovens durante o contrato de aprendizagem;
O Programa com aprendizes poderá constar no balanço social da empresa (Responsabilidade Social);
Ganho de imagem para a empresa junto à sociedade;
Atende a cota obrigatória de aprendizes para empresas (Aprendizagem Empresária).

Aprendizagem EmpresáriaSENAI

Conceito
Conjunto de ações voltadas a inclusão social de adolescentes e jovens através de sua formação profissional no âmbito de um contrato de trabalho especial, respeitando sempre a faixa etária de 14 a 24 anos, nos termos do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho/ C.L.T.
A formação técnico-profissional caracteriza-se por atividades teóricas e práticas, metodicamente organizadas em tarefas de complexidade progressiva desenvolvidas no ambiente de trabalho

Características
Nos termos art. 428 da CLT, o contrato de aprendizagem é um emprego especial, cujas características são as seguintes:
a) ajuste por escrito (empresa e aprendiz);
b) prazo determinado;
c) permitido aos adolescentes maiores de 14 e menores de 24 anos;
d) exigência de inscrição do adolescente em programa de aprendizagem;
e) matrícula e frequência do aprendiz na escola, caso não haja concluído o ensino médio.

Obrigatoriedade de admissão de aprendiz
Estabelecimentos de qualquer natureza, salvo instituições sem fins lucrativos que tenham por objetivo a educação profissional são obrigados a empregar e matricular nos cursos dos Serviços Nacionais de Aprendizagem de 5 a 15% dos trabalhadores, cujas funções demandem formação profissional. (Art. 429 CLT)

Órgãos autorizados a ministrar aprendizagem
Na hipótese de os Serviços Nacionais de Aprendizagem não oferecerem cursos ou vagas suficientes para atender à demanda dos estabelecimentos, esta poderá ser suprida por outras entidades qualificadas em formação técnico-profissional metódica, a saber:
– Escolas Técnicas de Educação;
– Entidades sem fins lucrativos, que tenham por objetivo a assistência ao adolescente e à educação profissional, registradas no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Art. 430 CLT).

Jornada de trabalho - art 432 da CLT
- 4 horas diárias ou 8 horas diárias, no máximo, computadas as horas destinadas às atividades teóricas.

Benefícios
Aprendizagem Empresária
Salário compatível com piso regional
Alimentação na empresa (almoço)
Transporte
Curso de qualificação profissional oferecido com o apoio técnico do SENAI
Assistência Médica
Assistência Odontológica
Seguro de Vida

Trabalho EducativoADOT

Qualificação profissional efetuada por programa que tenha por base o trabalho educativo, sob responsabilidade de entidade governamental ou não-governamental sem fins lucrativos, que deverá assegurar ao adolescente que dele participe condições de capacitação para o exercício de atividade regular remunerada.

Conceito
Se entende por trabalho educativo a atividade laboral em que as exigências pedagógicas relativas ao desenvolvimento pessoal e social do educando prevalecem sobre o aspecto produtivo.

Características
a) ajuste por escrito (entidade e aprendiz);
b) prazo determinado;
c) permitido aos adolescentes maiores de 15 e menores de 18 anos;
e) matrícula e freqüência do aprendiz na escola.

Jornada de trabalho
40 a 44 horas semanais / 8 horas diárias (conforme CLT)
Formação de vínculo de emprego
O contrato é firmado entre o aprendiz e a entidade sem fins lucrativos ou escola técnica de educação, caso em que não gera vínculo de emprego com a empresa tomadora dos serviços (Art. 431 CLT)

Benefícios
Salário mínimo
Alimentação gratuita na empresa (almoço)
Transporte

Responsabilidadescada um tem a sua!

Coordenador do Programa (RH)
Selecionar aprendizes em conjunto com R&S;
Definir a alocação dos aprendizes em conjunto com gestores;
Garantir aplicação da avaliação semestral dos aprendizes/educandos pelos gestores;
Garantir aplicação da avaliação semestral dos gestores pelos aprendizes/educandos;
Fornecer feedback aos gestores sobre a avaliação que receberam dos aprendizes/educandos;
Preparar gestores para fornecerem feedback aos aprendizes/educandos;
Aplicar avaliação semestral do Programa Aprendiz nos aprendizes/educandos;
Prestar auxílio e apoio aos aprendizes/educandos e aos gestores;
Checar bimestralmente adaptação, comportamento e desenvolvimento de competências dos aprendizes/educandos (encontro gestor, encontro aprendiz/educando);
Checar assiduidade do aprendiz/educando, disciplina, desempenho na empresa e no Senai (aprendiz).

Superior Imediato
Realizar semestralmente avaliação de desempenho do aprendiz e fornecer feedback da avaliação;
Acompanhar assiduidade, disciplina e desempenho do aprendiz na empresa;
Demonstrar disponibilidade, capacidade de desenvolver subordinados, comunicação clara e fornecer feedback constante;
Indicar necessidades de treinamentos específicos para o desempenho das atividades do aprendiz;
Monitorar ou definir monitor para as atividades do aprendiz.
A empresa deve designar formalmente um monitor, que ficará responsável pela coordenação de exercícios práticos e acompanhamento das atividades do aprendiz no estabelecimento, de acordo com o programa de aprendizagem (art. 23, § 1º, do Decreto nº 5.598/05)

Aprendiz/Educando
Preencher semestralmente avaliação do superior imediato;
Preencher semestralmente avaliação do Programa;
Demonstrar interesse, iniciativa, responsabilidade, agilidade, qualidade do trabalho, capacidade de aprendizagem e bom relacionamento interpessoal;
Procurar monitor ou superior imediato para esclarecimento de dúvidas diárias em relação à suas atividades;
Procurar Coordenador do Programa no RH para esclarecimento de dúvidas, sugestões ou críticas sobre o Programa ou problemas que não possam ser resolvidos pelo superior imediato.